Sobre contar e amar !

Em algumas famílias a hora de dormir é um momento confuso, quase sempre as crianças resistem pois não querem parar de brincar e nem se afastar dos pais.
Contar estórias para as crianças nesse momento as ajudam á acalmar e relaxar.
Além disso ,algumas pedagogias orientam pais que leiam estórias ou contos de fadas pois eles têm na sua essência morais que ensinam e estabelecem valores.
As crianças se identificam com os personagens e aprendem a compreender-se e
aceitar-se.
Os contos de Grimm e Andersen são excelentes , mas existem milhares de outros escritores que ajudam nessa terapia tão simples e salutar .
foto (2)
Adivinha Quanto Eu Te Amo é um livro infantil escrito por Sam McBratney e ilustrado por Anita Jeram, publicado em 1994 noReino Unido, e em 1996 no Brasil.
Era uma vez , ou….
Era hora de ir para a cama e o coelhinho se agarrou firme nas longas orelhas do coelho pai.
Depois de ter certeza de que o papai coelho estava ouvindo, o coelhinho disse: Adivinha o quanto eu te amo!
Ah, acho que isso eu não consigo adivinhar. – Respondeu o coelho pai.
2
Tudo isto. – Disse o coelhinho, esticando os braços o mais que podia.
Só que o coelho pai tinha os braços mais compridos, e disse: E eu te amo tudo isto!
Hum,isso é um bocado, pensou o coelhinho.
Eu te amo toda a minha a altura. – Disse o coelhinho.
E eu te amo toda a minha altura. – Disse o coelho pai.
Puxa,isso é bem alto, pensou o coelhinho. Eu queria ter braços compridos assim.
Então o coelhinho teve uma boa ideia. Ele se virou de ponta-cabeça apoiando as patinhas na árvore, e gritou: Eu te amo até as pontas dos dedos dos meus pés, papai!
E eu te amo até as pontas dos dedos dos teus pés. – Disse o coelho pai balançando o filho no ar.
Eu te amo toda a altura do meu pulo! – Riu o coelhinho saltando de um lado para outro.
E eu te amo toda a altura do meu pulo. – Riu também o coelho pai, e saltou tão alto que suas orelhas tocaram os galhos da árvore.
Isso é que é saltar! – Pensou o coelhinho. Bem que eu gostaria de pular assim.
Eu te amo toda a estradinha daqui até o rio. – Gritou o coelhinho.
Eu te amo até depois do rio, até as colinas. – Disse o coelho pai.
É uma bela distância, pensou o coelhinho. Mas, àquela altura já estava sonolento demais para continuar pensando.
Então, ele olhou para além das copas das árvores, para a imensa escuridão da noite e concluiu:Nada podia ser maior que o céu.
Eu te amo até a lua! – Disse ele, e fechou os olhos.
Puxa, isso é longe – falou o papai coelho – longe mesmo!
O coelho pai deitou o coelhinho na sua caminha de folhas, inclinou-se e lhe deu um beijo de boa-noite.
Depois, deitou-se ao lado do filho e sussurrou sorrindo: Eu te amo até a lua… Ida e volta!
untitled
* * *

Deixe uma resposta